A história do OBIS

Last updated on ter, 2010-11-30 11:01. Originally submitted by julio on 2010-05-21 20:05.

A concepção do OBIS foi inicialmente desenvolvida durante uma conferência patrocinada pelo Censo da Vida Marinha (CoML) em 1997. Na época não existia um sistema abrangente para a recuperação de dados biológicos dos oceanos. Os bancos de dados existentes, para disseminar dados biológicos dos oceanos, falhavam em “resumir adequadamente as distribuições conhecidas e a abundância da vida marinha, nem estão organizados para incentivar o uso frequente ou então a comparação entre bancos de dados" (Grassle 2000). Os problemas criados por essa privação de acesso aos dados marinhos para usuários frequentes são muitos sérios: se os cientistas não podem recuperar de modo eficiente e compartilhar de modo efetivo entre si dados sobre os oceanos, como alguém será capaz de gerar novas hipóteses detalhadas sobre os nossos oceanos? Se novas descobertas sobre os oceanos permanecem em âmbito local e escondidas do resto da comunidade científica marinha, então os dados não têm um impacto sobre a pesquisa da comunidade científica marinha em geral.

Pouco tempo depois da primeira reunião, o OBIS foi criado como um projeto do Censo da Vida Marinha para auxiliar na disponibilização global de registros para a comunidade científica. O objetivo do OBIS era simples: criar "um sistema on-line de fácil utilização para absorver, integrar e acessar dados sobre a vida nos oceanos" (Grassle, 2000). O sistema estimularia pesquisa em taxonomia e sistemática para gerar novas hipóteses sobre: processos evolutivos; fatores relacionados com a manutenção da distribuição das espécies; o papel de organismos marinhos no funcionamento do ecossistema marinho (Grassle, 2000).

Durante a última década, a comunidade do OBIS tem trabalhado incansavelmente para se certificar de que todos os dados inseridos no OBIS, de centenas de provedores, estejam disponíveis ao público através de sua interface de busca. De muitas maneiras, o banco de dados OBIS tornou-se o banco de dados que a comunidade do OBIS previu em sua criação.

Ademais, o OBIS ainda está evoluindo: o OBIS espera se tornar ainda mais fácil e atraente tanto para a comunidade científica como para os usuários comuns da Internet. A comunidade do OBIS promove uma política de acesso aberto e acredita que os dados coletados sobre os oceanos deverão ser, facilmente, acessíveis para um diversificado grupo de usuários.

Linha do tempo:

1997: Conceito do OBIS desenvolvido na Reunião do Censo Bentônico patrocinado pela Sloan / CoML organizado por J.H. Ausubel e J.F. Grassle.

1998: Protótipo do OBIS site desenvolvido por J.F. Grassle, K. Stocks, Y. Zhang na Universidade Rutgers.

1999: Primeiro Workshop Internacional do OBIS em Washington, DC.

2000: The Programa Nacional de Parceria Oceanográfica (NOPP)(sigla em inglês, NOPP) financiou oito projetos do OBIS através do apoio da Fundação Alfred P. Sloan, o Escritório de Pesquisas Navais (sigla em inglês ONR) (sigla em inglês, ONR), e da Fundação Nacional para Ciência (sigla em inglês, NSF).

2002: OBIS-SEAMAPfoi adicionado como projeto do OBIS, especializado em dados sobre mamíferos marinhos, tartarugas e aves. SeamountsOnline foi adicionado como projeto do OBIS: graças a Bolsa de Pós-Doutorado da NSF para Karen Stocks, no San Diego Supercomputing Center.

2009: OBIS foi adotado pela Comissão Oceanográfica Intergovernamental da UNESCO como uma de suas atividades sob o programa Intercâmbio Internacional de Informações e Dados Oceanográficos (sigla em inglês, IODE). Desde então, o pessoal do OBIS e do IODE está trabalhando para tornar essa integração uma realidade.

As primeiras publicações sobre o OBIS: Oceanography Magazine, Volume 13, No. 3 (Edição Especial): Sistema de Informações Biogeográficas dos Oceanos.

OBIS is a project of:
IOC-UNESCO
IODE Sponsored by:
Martin International and Les Grands Explorateurs
With in-kind support from:
Marine Geospatial Ecology Lab, Duke University
Universidad Simón Bolívar Flanders Marine Institute

OBIS strives to document the ocean's diversity, distribution and abundance of life. Created by the Census of Marine Life, OBIS is now part of the Intergovernmental Oceanographic Commission (IOC) of UNESCO, under its International Oceanographic Data and Information Exchange (IODE) programme