Notícias

Last updated on seg, 2012-02-13 13:33. Originally submitted by Sergio Stampar on 2010-12-09 06:04.

Nova página do OBIS EUA
01 Fevereiro 2012

O Nodo Regional (RON) dos EUA possui um novo sítio em http://www.usgs.gov/obis-usa. Parabéns para Philip Goldsteine Mark Fornwall pela excelente trabalho. Os metadados também contêm referências ao sítio – estes serão atualizados quando fizermos a próxima atualização nos registros no Portal OBIS.

Novos registros visíveis em Janeiro 2012
24 Janeiro 2012

A primeira atualização de novos registros para 2012 está completa, com 11 atualizações e 5 novos bancos de dados. As novas contribuições notáveis incluem um banco de dados do CSIRO, que representa um estudo de 3 anos no ecossistema que sustenta a pesca no sudeste da Austrália, um banco de dados sobre a produção científica de estudos do Laboratório de Zooplâncton da Universidade Federal de Pernambuco, e uma atualização nos registros de peixes do Canadian Museum of Nature, como atividade do OBIS Canadá. Atualizações adicionais do OBIS Canadá incluem novos registros no Atlas eletrônico do ictioplâncton na Plataforma Escocesa da América do Norte, assim como um banco de dados de alta resolução e que cobre todas as espécies já conhecidas no arquipélago Haida Gwaii.
O OBIS também recebeu um número de novos conjuntos de dados do Fishbase e dos seus provedores associados. Estes incluem um conjunto de registros de biodiversidade através da Academia Chinesa de Taiwan, a coleção de peixes do Museu Nacional do Japão da Natureza e da Ciência e a coleção de peixes do Museu de História Natural da França.
O OBIS atualmente conta com aproximadamente 32.2 milhões de registros de 1014 bancos de dados. Mais informações disponíveis na página das estatísticas; mais informações sobre os bancos de dados individuais estão disponíveis aqui.

Primeira Reunião do Grupo Dirigente do OBIS
27 Dezembro 2011

A primeira reunião do Grupo Dirigente (GD) do IODE para o OBIS ocorreu na Sede do IODE dentro da COI, em Ostende, Bélgica. Durante a reunião o GD reviu o status atual do OBIS, com especial ênfase em sua integração no IODE. Os representantes dos Nodos Regionais do OBIS apresentaram seus últimos avanços, expectativas para 2012 assim como suas principais dificuldades. Os problemas comuns dos Nodos são falta de pessoal e sustentabilidade financeira continuada. Contudo, o OBIS tem no momento mais de 30 milhões de registros e cerca de 1 mil bancos de dados. Aspectos técnicos dos bancos de dados foram extensamente debatidos objetivando melhorias. Objetivos de curto e longo prazo foram bastante discutidos, incluindo a conectividade com outros bancos de dados de biodiversidade, com outros provedores de dados, políticas de metadados, plataformas multilíngues, educação e colaboração com outros programas e iniciativas internacionais. A sustentabilidade financeira e oportunidades de financiamento externo foram discutidas. O Projeto iMarine, como principal fonte de recursos para sustentação do Escritório Central foi debatido. Objetivos específicos para o OBIS foram definidos dentro da Estratégia de Médio Prazo da UNESCO (2008-2013) e prioridades da COI/IODE. Se optou por uma operação do OBIS baseada no trabalho em equipe. O OBIS funcionará como uma infraestrutura de dados distribuídos através de nodos sob a liderança do Escritório Central. Várias funções deverão ser implementadas através dos nodos. Cada função deverá ser desempenhada por uma ação voluntária e que assegure a sua efetividade. Outros voluntários serão encontrados nos projetos que demandam grandes esforços. Uma estratégia plausível para operações sustentáveis do Escritório Central deverão estra no plano executivo e que deverá estra pronto no final de março. Alguns pontos focais deverão estar ligados com programas do IODE, como Portal de Dados Oceanográficos (ODP) e OceanTeacher.

OBIS colabora com o Projeto iMarine da Europa
27 Dezembro 2011

A reunião inicial para o desenvolvimento do projeto iMarine da Europa aconteceu em Pisa, entre 16-17 de novembro de 2011. iMarine é uma iniciativa para se estabelecer e operar uma infraestrutura online que se apoia nos princípios da Abordagem dos Ecossistemas da pesca e de conservação dos recursos marinhos vivos. A Abordagem dos Ecossistemas utiliza conjuntos de fontes de dados e de conhecimento mais amplos que os que são de uso convencional no gerenciamento e conservação da pesca. O monitoramento e avaliação de espécies alvo, emblemáticas e vulneráveis, precisam ser mais amplos para englobar conjunto de espécies, comunidades, habitats, ecossistemas e contemplar impactos sobre a pesca, o que se traduz pelos produtos e serviços oferecidos pelos ecossistemas. Os dados do OBIS e sua capacitação técnica serão componentes essenciais da infraestrutura online através dos registros de distribuição de espécies e dos dados derivados do projeto. Na colaboração o OBIS dará uma contribuição direta para o gerenciamento do ambiente marinho.
O projeto será capitaneado por by Donatella Castelli, Consiglio Nazionale delle Ricerche (CNR), Pisa, Itália, e por Marc Taconet do Fisheries Department da Organização para Alimentos e Agricultura das Nações Unidas (FAO), Roma Itália. Mais informações sobre o projeto, incluindo uma listagem completa dos parceiros e do plano de trabalho, podem ser encontradas no sítio www.i-marine.eu.

OBIS utiliza servidores do VLIZ
27 Dezembro 2011

Desde meados de outubro de 2011 que os servidores WEB e de banco de dados do OBIS já não estão mais no serviço de nuvem da Amazon. Eles migraram para os servidores disponibilizados pelo Instituto Marinho de Flandres (Vlaams Instituut voor de Zee, VLIZ). Ocorreram alguns problemas na migração, entre eles erros quando os usuários desejavam descarregar dados e na criação de novas páginas estáticas (o que causou o atraso destas notícias). Tudo parece estar resolvido no momento, o Portal está funcional, o servidor do banco de dados está mais rápido do que ainda na Nuvem da Amazon. Tanto VLIZ quanto os Serviços de Informação Oceanográfica do Centro Nacional Indiano (INCOIS) se prontificaram em colaborar com a rede OBIS oferecendo auxílios. A colaboração de VLIZ já é uma realidade, pelo que agradecemos. INCOIS está preparando novos servidores, o que permitirá a criação de espelhos do OBIS e assim aumentar o tempo real de funcionalidade do Portal.

NOVOS DADOS ADICIONADOS
16 de outubro de 2011

O OBIS está começando Outubro com uma grande adição de dados graças a contínua contribuição de seus parceiros. A atualização de 200 mil registros abrange uma impressionante gama taxonômica e geográfica, sendo esta composta por submissões do OBIS-EUA, SCAR-MarBIN, OBIS Canadá, OBIS Brasil e OBIS Japão. O OBIS Brasil disponibilizou uma grande quantidade de novos registros, incluindo um banco de dados detalhando a distribuição de algas e plantas bentônicas da região estuarina da Lagoa dos Patos, bem como um inventário de Cnidaria do Estado de São Paulo (atualização BIOTA/FAPESP 2000-2010) e várias atualizações de bancos de dados que abrangem os Ecossistemas de Manguezais do Atlântico Sudoeste (Brasil). O OBIS Canadá proveu uma variedade de novas fontes, incluindo dados de um programa de monitoramento do Departamento de Pesca e Oceanos (sigla em inglês – DFO), o qual tem como foco avaliar a qualidade ecológica dos estuários no Golfo de St. Lawrence, bem como um conjunto de dados de catalogação da abundância e distribuição das 54 espécies de ovos e larvas de peixes coletados durante os anos 1960 e 70 na mesma área. Como novo avanço, o OBIS iniciou uma empolgante colaboração com Ocean Genome Legacy. Esta organização de pesquisa marinha, sem fins lucrativos, partilhou um catálogo que contêm tecidos e extrações de DNA de mais do que 12 mil indivíduos e 2500 táxons marinhos. Esta contribuição irá adicionar uma nova dimensão de especificidade ao OBIS. Além disso, a ECOCEAN, uma organização sem fins lucrativos sediada no Oregon, forneceu uma grande atualização de seu extenso banco de identificação fotográfica de Tubarões Branco. Finalmente, OBIS-Japão forneceu a sua segunda submissão oficial de amostras biológicas coletadas por meio de navios e submarinos do JAMSTEC. Estes dados incluem informações detalhadas sobre sexo, estágio de vida e abundância. Essa incorporação aumenta consideravelmente a resolução do OBIS Pacífico Oeste. Com a atualização de outubro finalizada, o banco de dados OBIS abriga agora um total de 1.004 bancos de dados, 31,96 milhões de registros, e mais de 158.439 taxa.

Uma lista de atualizações e novos bancos de dados com atalhos diretos para mapas destes bancos de dados estão disponíveis aqui. Visite a página de estatística para maiores informações sobre o número de registros e táxons.

O OBIS no WCMB
15 de outubro de 2011

O OBIS foi representado na Segunda Conferência Mundial sobre Biodiversidade Marinha, que ocorreu entre 26 e 30 de setembro de 2011 em Alberdeen, Escócia. Foram apresentações de vários nós do OBIS (incluindo o EurOBIS e SCAR-MarBIN) e do Escritório Central Internacional. As apresentações e resumos do Escritório Central podem ser baixados nos atalhos a baixo. O uso das apresentações e imagens contidas nelas é permitido, sob as condições de atribuição adequadas. O envio de um e-mail para informar sobre a utilização das imagens das apresentações será muito apreciada, pois é uma cópia como de qualquer outra publicação (eletrônica).

-The Ocean Biogeographic Information System: current state and future plans (Apresentação, Resumo)
-Latitudinal gradients in diversity: exploring patterns using the Ocean Biogeographic Information System(Apresentação,Resumo)
-Technical developments at the Ocean Biogeographic Information System (Apresentação,Resumo)
-Using Ocean Biogeographic Information System data in the CBD EBSA process (Apresentação,Resumo)
-Quantifying our ignorance: what the Ocean Biogeographic Information System tells us (Apresentação, Resumo)
-Integrating biogeographic data in OBIS: challenges in standardisation of taxonomic names (Apresentação, Resumo)

Vaga de emprego: Especialista Programas IODE/OBIS
20 de Setembro de 2011

OBIS prossegue o seu longo caminho de integração na Comissão Oceanográfica Intergovernamental (sigla em inglês IOC) da UNESCO, sob o Programa Internacional de Intercâmbio de Dados Oceanográficos (sigla em inglês IODE). Parte deste processo é contratar um especialista dos programas do IODE / OBIS, o qual será sediado no Instituto de Ciências Marinhas e Costeiras da Universidade Rutgers, EUA. O texto completo do edital está no texto abaixo. IOC/UNESCO tem uma vaga para um especialista dos programas, que será responsável pela gestão do Sistema de Informações Biogeográficas dos Oceanos (OBIS). A posição será alocada no escritório do projeto do IOC para IODE/OBIS, o qual em breve estará localizado na Universidade Rutgers, Nova Jersei, EUA.

As incumbências serão especificamente:
- Coordenar o planejamento e a implementação do OBIS, incluindo a gerência dos bancos de dados do OBIS e produtos e serviços relacionados, administração, organização de encontros e cursos de treinamento, gestão de contratos e acordos, preparação de relatórios financeiros e técnicos da maneira que forem requisitados pela UNESCO/IOC, doadores e financiadores;
- Ativamente promover o OBIS através de atualizações em páginas na internet, publicações e participação em eventos técnicos e científicos relevantes como representante da UNESCP/IOC;
- Estabelecer contatos e harmonizar com outros programas e projetos do IOC, bem como com outras organizações e instituições relevantes ao OBIS;
- Buscar financiamentos extras para complementar o fundo disponibilizado pela UNESCO, bem como a busca de outros recursos.
Todas as informações sobre responsabilidades, qualificações e experiências exigidas, competências, condições do emprego e como se candidatar estão disponíveis na página do IODE. O currículo (formato requerido pela UNESCO) necessário também está disponível na pagina acima mencionada. A data limite para a submissão é 1° de Novembro de 2011.
UNESCO está compromissada em manter a igualdade de gênero entre os seus programas e manter a paridade dos gêneros entre seus secretariados. Assim, as mulheres são fortemente encorajadas a se candidatarem, bem como pessoas de países membros ou não. Pessoas com limitações físicas também são igualmente encorajadas a se candidatarem.
(Assinado) Peter Pissierssens

NOVO ACRÉSCIMO DE DADOS
2 de Setembro de 2011

 Agosto chegou ao fim com OBIS completando mais um substancial acréscimo de dados. Os programas OBIS-USA, OBIS SEAMAP, EurOBIS, SCAR-MarBIN e OBIS Canadá, coletivamente, contribuíram com 3 atualizações e 51 novos bancos de dados com um expressivo total de 443 mil novos registros.

O ICES através do EurOBIS contribuiu com um imenso banco de dados de peixes predadores e suas presas que abrange 11 países. Este banco provê informações importantes sobre a dieta de oito espécies predadoras vitais para o Mar do Norte. Eles também têm partilhado numerosos bancos de dados do Mar Negro. Neste caso existe um detalhamento da composição de espécies, biomassa e abundância de zooplâncton e fitoplâncton no norte do Mar Negro.

O OBIS Canadá também disponibilizou um banco de dados sobre pesquisa sobre o ‘caranguejo da neve’ (Snow Crab) com a utilização de arrastos no Golfo de St. Lawrence. O mesmo grupo também disponibilizou um grande banco de dados contendo todos os dados das investigações pioneiras do Ártico Oriental produzido pelo Fisheries Research Board of Canada. Acumulados entre 1947-1959, estes dados contêm os resultados de um amplo esforço no leste do Ártico canadense usando várias estratégias de amostragem. O estudo aplicou redes de emalhe, redes de cerco, espinheis e dragagens e assim sendo possível elaborar um inventário de diversas espécies planctônicas e nectônicas.

Graças à SEAMAP OBIS, O OBIS foi capaz de adicionar uma riqueza de dados sobre mamíferos marinhos e répteis com esta adição. Bancos de dados notáveis incluem o Banco de Dados Nacional de Encalhes de Baleias no Reino Unido, Banco de dados do Centro de Ciência de Pesca do Sudoeste do NOAA o qual disponibilizou informações sobre deslocamento de Tartarugas do mar comum (Caretta caretta) em águas dos Estados Unidos. Ainda foi disponibilizado um banco de dados da Universidade da Califórnia (Santa Cruz) detalhando a distribuição e padrões de migração de Elefantes marinhos.

O SCAR-MarBIN disponibilizou dois novos bancos de dados com dados de ocorrência do Filo Cnidaria e da ordem Octopoda no Oceano Antártico.

O Ramo Biogeográfico do NOAA proveu atualizações para 3 bancos de dados do Caribe obtidos no início deste ano e no final de 2010. Estes dados relatam a distribuição e abundância de peixes recifais e onde estes foram coletados através de transectos em St. Croix, St. John e Porto Rico.

Com auxílio destes valorosos parceiros, o banco de dados do OBIS agora alcança 31,8 milhões de registros em 994 bancos de dados para 140.000 espécies. Os detalhes dos novos e atualizados dados estão listados aqui.


CoML recebe o prêmio Cosmos
27 de julho de 2011

 Em 27 de junho de 2011, o Comitê Internacional do Prêmio Cosmos (presidido por Dr. Tadamitsu Kishimoto) escolheu o Comitê Científico do Censo da Vida Marinha (secretariado: Washington, DC. EUA), como o vencedor de 19° Prêmio Internacional Cosmos (2011). A decisão de atribuir o prêmio ao Comitê foi alcançada depois de considerar as recomendações apresentadas pela Comissão de Peritos de Seleção do Prêmio Internacional Cosmos (Presidente: Sr. Kazuo Matsushita).
O Comitê Gestor Científico (SSC – sigla em inglês) do Censo da Vida Marinha (CoML– sigla em inglês), fornece a governança mundial para o CoML, um grande projeto global. O objetivo do Censo foi fazer um levantamento e analisar as mudanças do passado ao presente na vida marinha, de distribuição da biodiversidade e sua abundância. OBIS foi criado como o componente de integração dos dados do Censo.
Mais informações sobre o prêmio estão disponíveis no site do Censo, nesta página, ou no documento anexado abaixo.


Mapas do OBIS são elementos principais em postagem de blog
15 de junho de 2011

 Jonathan Thar, coordenador do programa de pesquisa do Programa de Rastreamento da Plataforma Continental do Oceano Pacífico (sigla em inglês, POST) postou um interessante texto no site do Vancouver Sun pela ocasião do Dia Mundial dos Oceanos em 8 de Junho de 2011. Mapas do OBIS foram utilizados para ilustrar como é pequeno o conhecimento sobre os oceanos, especialmente sobre o ambiente pelágico profundo.


Novos dados adicionados
14 de junho de 2011

 O OBIS terminou a sua terceira atualização de 2011, completando um de seus maiores carregamentos de dados já feitos, isto graças ao esforços de seus parceiros. Esta atualização de 714.000 registros abrange um grande escopo geográfico sendo composto por contribuições do OBIS-EUA, AfrOBIS, EurOBIS, OBIS Coréia e OBIS Canadá.

Adições específicas incluem uma extensa coleta de dados a partir do AfrOBIS detalhando as distribuições de corais, diatomáceas, peixes e invertebrados em Madagascar; um banco de dados do EurOBIS composto por mais de 645 avistamentos de cetáceos no Mar Negro, Mar de Azov e do Estreito de Kerch; e, um conjunto de dados do OBIS Canadá contendo os resultados de numerosos arrastos de coletas de plâncton no Pacífico norte e equatorial, durante a longa expedição Hudson 70, o primeiro navio a circunavegar o continente americano. OBIS-EUA também tem apresentado um diversificado leque de coletas de dados. Estes incluem um levantamento de organismos bentônicos de amostras que abrangem a plataforma continental em 4 estados do sul dos EUA, um levantamento das espécies de corais do Parque Nacional das Virgin Islands e de Coral Reef National Monument, e ainda uma compilação de 30 arrastos de coletas de zooplâncton ao longo de 4 anos em Georges Bank. Um dos nossos relativamente novos nodos, OBIS-COREIA, contribuiu com uma atualização substancial em sua base de dados de catalogação de espécies planctônicas no Mar Ocidental. Finalmente, OBIS está animado para anunciar que estamos disponibilizando um extenso levantamento de invertebrados e corais do Golfo do México, cortesia de Divisão de Biogeografia do NOAA. Os dados incluem eventos de amostragens antes e depois do desastre BP Horizon e que continuam a desempenhar um papel inestimável na avaliação da extensão da devastação da vida marinha.

O OBIS agora ultrapassa 31,3 milhões de registros, com 939 bancos de dados e com 181.000 espécies. Uma lista dos novos e dos bancos de dados atualizados, incluindo um atalho para o número de registros e mapas destes registros, disponível aqui.



Nova liderança no nodo africano
10 de maio de 2011

 Marten Grundlig, desde o início gestor do Nodo Regional Africano do OBIS, está passando o posto para Ursula Von St. Ange. Ursula tem sido a principal e primorosa apoiadora no AfrOBIS e temos certeza que o Nodo africano está seguro em suas mãos capazes. Ao mesmo tempo, estamos tristes por ver a saída de Marten. O fato de que sua formação foi em oceanografia física, em vez de biologia marinha, não impediu a construção de um Nodo muito forte (muito maior em relação ao número de registros!) e de ser muito ativo nas discussões na Comissão de Gestores. Aqui estão algumas palavras de Marten. “O OBIS e o CoML têm sido uns dos pontos altos da minha carreira como um não-biólogo e eu sempre olharei para trás com carinho e orgulho do que fizemos e do que foi obtido”.



Novos dados no OBIS
15 de abril de 2011

 O OBIS terminou a sua segunda maior atualização de 2011, adquirindo 9 novos bancos de dados e 4 atualizações, o que resultou na adição de 41.802 registros. A maioria das novas submissões, providas pelo Projeto de Biodiversidade do Oceano Ártico (ArcOD), documentando uma expressiva gama de espécies marinhas existentes em latitudes polares. Isto inclui diatomáceas da Bacia do Ártico, microalgas no Mar de Chukchi e o Zooplâncton no Oceano Ártico Leste. Também entre as submissões do ArcOD está um abrangente conjunto de dados detalhando a diversidade de macroinvertebrados bentônicos do sudoeste da Groenlândia. Estes dados foram obtidos a partir de levantamentos de transectos pela plataforma continental e revelando uma rica diversidade de ambientes marinhos. As contribuições do ArcOD aumentam a resolução do OBIS em grandes latitudes com um banco de dados detalhando a estrutura de uma comunidade dominante de ofiuróides em um fiorde no leste da Groenlândia.

OBIS Canadá fez duas novas contribuições para o site internacional: Uma pesquisa em andamento alavancada pelo Departamento de Pesca e Oceanos (DFO), que coleta informações fora do esforço de pesca sobre as espécies exploradas comercialmente, e do banco de dados do Programa de Monitoramento da Zona do Atlântico (AZMP). O AZMP é um esforço para aumentar a capacidade do DFO de compreender, descrever e prever o estado dos ecossistemas marinhos no leste canadense, bem como uma investigação do papel da relação predador-presa nas flutuações dos recursos marinhos.

As atualizações para bancos de dados existentes foram disponibilizados por: Programa MIT Sea Grant, Projeto de Geografia Natural de Áreas Costeiras (NAGISA) e do OBIS Canadá. As atualizações são compostas principalmente por melhorias na qualidade dos dados e alterações nas classificações taxonômicas. OBIS espera continuar o forte precedente que foi definido no 1o. trimestre de 2011, e algumas idéias promissoras para novas colaborações e oportunidades de compartilhamento de dados estão se materializando. Em meados de abril, o banco de dados do OBIS abrigava mais do que 30,6 milhões de registros cobrindo 115 mil espécies e 921 conjuntos de dados.

Uma lista de novos e atualizados bancos de dados, incluindo o número de registros e um atalho para um mapa dos registros, está disponível aqui.



Novo gestor para o Nodo Coreano do OBIS
14 de abril de 2011

Infelizmente, o Dr. Youn-Ho Lee não estará mais disponível para gerir as tarefas de gestor do nodo da Coréia, sendo assim ele pediu que Sung-Dae Kim assumisse o seu papel. Youn-Ho disse que teve prazer em trabalhar com a comunidade do OBIS e que continua muito interessado no que ainda acontece no OBIS.
Gostaria de agradecer Youn-Ho pela agradável colaboração no passado, e estou ansioso para continuar a trabalhar em conjunto com o nodo da Coréia, com o Dr. Sung-Dae Kim.



Novo Gestor de Nodo do OBIS
9 de abril de 2011

Don Robertson, que estava no comando do Nodo do Sudoeste do Pacífico do OBIS desde o seu início, deixou o OBIS após sua aposentadoria, o que ocorreu já há algum tempo. Desde então, o nodo do OBIS, com base na Nova Zelândia, não tem sido muito ativo. Isso tudo promete mudar, agora que Kevin Mackay assumirá a responsabilidade sobre o nodo criado por Don. Kevin diz: "Estou feliz por estar a bordo, pois o OBIS é vital para o papel e a responsabilidade da Nova Zelândia na comunidade internacional de biodiversidade e eu estou ansioso para colaborar na rede do OBIS". Por favor, se junte a mim para saudar Kevin.



Oferta de trabalho no AntaBIF
9 de abril de 2011

AntaBIF se baseia e amplia duas redes complementares, ligando-os com outras fontes de dados potenciais. Ele integra SCAR-Marbin, o Nodo da Antártida do OBIS, com a rede de bancos de dados gerenciados pela Divisão Antártica Australiana (DAA). O AntaBIF está procurando por um cientista para ocupar a posição de gestor dos dados do projeto. Os candidatos interessados devem enviar sua respectiva candidatura (em inglês com o currículo) para o promotor do projeto, Hendrik Segers (hendrik.segers@naturalsciences.be), com cópia para Bruno Danis (bruno.danis@naturalsciences.be) antes de 22 de abril de 2011; a seleção dos candidatos ocorrerá durante a primeira quinzena de maio de 2011.

Mais informações estão disponíveis aqui.



O OBIS participa de reuniões do IODE
5 de abril de 2011

O OBIS participou de duas reuniões do Programa Internacional de Dados e Informações Oceanográficos (IODE) da Comissão Oceanográfica Intergovernamental (IOC). As reuniões ocorreram em Liège, Bélgica. A primeira reunião, 21-22 de Março, foi uma conferência científica comemorando o 50 º aniversário do IODE; mais informações sobre esta estão disponíveis na página do IODE na Internet, aqui. A segunda reunião foi a 21 º sessão da Comissão do IOC sobre o IODE, em 23-26 de março. Durante esta reunião, foi discutida a integração do OBIS no IODE. Detalhes da reunião, incluindo todos os documentos de trabalho, estão disponíveis aqui.



Novos dados no OBIS
17 de Março de 2011

O OBIS já completou a sua primeira grande atualização de 2011, somando mais de 315 mil novos registros, distribuídos em 14 conjuntos de dados novos e uma atualização. As adições notáveis ??incluem cinco novos conjuntos de dados do Oceano Ártico e do Projeto de Biodiversidade do Zooplâncton com dados detalhando levantamento do Mar de Barrents e de Chukchi, um conjunto de dados baseado em rastreamentos oriundos do OBIS Canadá para ajudar a identificar as distribuições de Squaliformes em relação às águas canadenses e americanas, ainda um peixe marinho e de um levantamento de invertebrados no Mar de Beaufort financiado pelo Gabinete de Gestão da Energia dos Oceanos, Regulamento e Aplicação. OBIS também se orgulha de apresentar um imenso banco de dados da SCAR-Marbin detalhando de rastreamento GPS de pingüins Rei do Arquipélago Crozet.

Em nível local, a Estação Marinha da  Universidade de Rutgers fêz a primeira contribuição ao OBIS, fornecendo os resultados de uma série de levantamentos com arrasto de portas em torno da proximidade do estuário da Baía Grande, que começou em 1988. Além disso, o OBIS adquiriu uma das maiores coleções de peixes e pós larvas do mundo: A coleção dos peixes de Universidade de Tulane.

Finalmente, o OBIS congratula-se com uma colaboração promissora com o Programa de Financiamento Marinho do MIT, que tem proporcionado uma extensa coleção de estudos de avaliação rápida de organismos marinhos no nordeste dos Estados Unidos. Estes dados são uma excelente opção para a interface de mapeamento do OBIS, abrangendo um vasto leque geográfico, incluindo uma diversidade de espécies nativas e introduzidas.

2011 já iniciou com um forte começo com a expansão do OBIS para mais de 30,6 milhões de registros, 126 mil espécies, e 912 conjuntos de dados. Para obter uma lista completa dos novos conjuntos de dados, incluindo links para mapas para esses novos conjuntos de dados, clique aqui(em inglês).



OBIS atende NODC
23 de fevereiro de 2011

O Centro Nacional de Dados Oceanográficos, parte da equipe do NOAA e do OBIS conheceu durante um a reunião de um dia nos gabinetes do NOAA, em Silver Spring, Maryland, durante as discussões sobre uma eventual colaboração. Também estiveram presentes pessoas de BCO-DMO, Universidade de Woods Hole e da pesca do NOAA; sendo que ainda o EUA OBIS participou por teleconferência. Os debates devem resultar em uma contribuição de dados melhor concatenados do NOAA para o OBIS. Também discutimos, sempre que possível, a colaboração em termos de arquivamento dos dados do OBIS pelo NODC, e ainda a melhor maneira de utilizar os dados físicos e químicos disponíveis no Atlas dos Oceanos do Mundo.



O OBIS foi apresentado na reunião do COFI em Roma
5 de fevereiro de 2011

A vigésima nona sessão do Comitê de Pesca (COFI) da Organização para a Alimentação e a Agricultura foi realizada em Roma de 31 janeiro - 4 fevereiro de 2011. OBIS esteve presente em Roma, com contribuições em diversos eventos paralelos. As apresentações sobre o OBIS faziam parte do programa dos eventos paralelos co-organizados pelo Secretariado da Convenção sobre Diversidade Biológica, do Iniciativa Global sobre a Biodiversidade dos Oceanos e da Centro de Monitoramento da Conservação Mundial, e o evento paralelo organizado pelo Censo da Vida Marinha. Em ambos os casos, as discussões levaram a contatos promissores para outros desenvolvimentos ou disponibilidade de dados para o OBIS. As apresentações de Powepoint usados estão disponíveis se você quiser usá-los para suas próprias apresentações.



Novos dados no OBIS
13 de janeiro de 2011

O ano de 2010 terminou com uma grande marca para o OBIS, com a adição de mais de 318.000 registros, de 13 novos conjuntos de dados e ainda 8 atualizações. As adições em destaque incluem:

- Um novo banco de dados do SCAR-MarBIN contendo informações de localização obtidas por localizadores via satélite em predadores marinhos ao redor da Geórgia do Sul.

- Um banco de dados do OBIS Canadá que prove informação de distribuição e abundância do DFO Central (redes de amostragem) e levantamentos da região ártica.

Além disso, o OBIS Japão fez a sua primeira participação com um banco de dados contendo um conjunto diversificado de amostras coletadas por navios e submarinos da Agência Japonesa de Ciência e Tecnologia Marinha e Terrestre. O OBIS também incorporo um grande banco de dados de observações de peixes do Instituto Sueco de Investigação Costeira e de Pesca. O conjunto inclui mais de 100.000 registros de ocorrência de mais de 200 táxons na região do Báltico. As atualizações de dados existentes foram contribuídos por OBIS Brasil, Nagisa, IcCoMM e EurOBIS.

No encerramento de 2010, o banco de dados OBIS contém 30 milhões e 300 mil registros abrangendo 898 conjuntos de dados, incluindo 120.000 espécies.



Novos registros em Novembro
03 de dezembro de 2010

Novembro chegou ao fim com o OBIS acrescentando 16 novos bancos de dados e 6 atualizações. Algumas adições notáveis incluem:

- 4 novos bancos de dados do Ramo Biogeográfico da NOAA, caracterizando espacialmente corais e esponjas no Caribe e Golfo do México;

- 5 atualizações do eurOBIS detalhando a distribuição de tartarugas marinhas, moluscos e espécies marinhas em geral de águas do Reino Unido;

- uma grande atualização de 1,4 milhões de registros oriundos do PANGAEA, um arquivo global para dados marinhos georeferenciados hospedado pelo Centro de Ciências do Meio Ambiente Marinho em Bremen, Alemanha;

- O SCARMARBIN contribuiu também com 5 novos bancos de dados provendo novidades sobre as características da dispersão e troca gênica entre as espécies de invertebrados na Antártica;

- o ArcOD disponibilizou um abrangente arquivo de dados de registros de zoo e fitoplâncton antárticos da Baía de Froshier e um detalhado catálogo de peixes marinhos depositados em museus.

O OBIS também obteve um detalhado mapa de distribuição de dinoflagelados que causam blooms de algas nocivas no Mar Mediterrâneo. Estes dados foram obtidos por busca em literatura e providos ao OBIS pelo Laboratório de Ecologia do Plâncton e Evolução de Nápoles, Itália.

Aproximadamente um mês após a conclusão do Censo da Vida Marinha, falta para o OBIS agora apenas 12.000 registros para as 30 milhões de ocorrências, tendo expandindo para 887 bancos de dados com 118.000 espécies e 31.000 gêneros.

 

OBIS is a project of:
IOC-UNESCO
IODE Sponsored by:
Martin International and Les Grands Explorateurs
With in-kind support from:
Marine Geospatial Ecology Lab, Duke University
Universidad Simón Bolívar Flanders Marine Institute

OBIS strives to document the ocean's diversity, distribution and abundance of life. Created by the Census of Marine Life, OBIS is now part of the Intergovernmental Oceanographic Commission (IOC) of UNESCO, under its International Oceanographic Data and Information Exchange (IODE) programme